A tal felicidade

postado em: Infinito | 2

Felicidade é

 

Eu passei por muitas mudanças nesses últimos tempos, e se a gente para pra analisar eu acho que nunca paro de mudar, seja de aparência, de casa, de cidade, de emprego, de sonhos. A mudança é uma constante na minha vida e eu sempre gostei de dizer que, de tempos em tempos, eu preciso me reinventar. Eu faço muito isso.

Mudar sempre foi traumático, eu sou dessas que usa o mesmo brinco, o mesmo perfume, come as mesmas coisas, vai nos mesmos lugares, e é feliz assim. Mas algum tempo atrás eu escrevi sobre mim mesma, que estou aprendendo a mudar, nas pequenas coisas, e nas grandes também. Nem por isso fica mais fácil.

Dois anos atrás eu perdi um emprego e decidi arrumar outro em outro estado, cheguei no Rio de Janeiro com 3 malas e fui tratar de organizar a vida. Passei esse tempo lá e fui percebendo que nem aquela cidade linda era capaz de me fazer feliz. Eu vi que a minha felicidade era morar aqui em Londrina, perto da minha mãe, dos meus bichos, dos meus amigos, e decidi mudar tudo de novo. Desfiz toda a vida e voltei pra cá, com 3 malas.

Muita gente me fala que eu sou corajosa por fazer isso, mas muitas vezes eu não me senti assim não, foi duro, chegar lá sem conhecer ninguém foi difícil, e voltar pra trás também foi. Mas não pode ser diferente, eu acredito de verdade que se a gente quer ser feliz, tem que correr atrás da felicidade, onde quer que ela esteja.

Mas eu acho também que ser feliz não é um destino final, a gente tem que aprender a gostar da jornada, reconhecer e ser grato por todas as pequenas felicidades do nosso dia-a-dia.

Ser feliz pra mim já foi tanta coisa que hoje não é mais, mas é também estar aqui no meu quarto, escrevendo esse post, pensando na minha vida, é trabalhar daqui desse mesmo lugar, um sonho antigo que eu estou começando a realizar agora.

E com certeza, ser feliz ainda vai ser muitas outras coisas que eu nem posso pensar ainda.

Não importa, eu chego lá!

Um beijo,

Chris

Seguir Chris Gnata:

Últimos Posts de

2 Respostas

  1. Deuzelita Gnata Fernandes

    Querida sobrinha, tem momentos que eu me vejo em você, ou você em mim, sou bem assim. Hoje estou feliz num lugar, daqui a algum tempo não estou mais e faço o caminho contrário. Acho que a vida só vale a pena se a gente estiver sempre aprendendo coisas novas. Eu amo aprender, não posso viver na rotina.
    Há dois anos estou trabalhando com a Flavia num atelier de costura, mas não me acomodei, minha cabeça já está “voando” buscando outras coisas para fazer.
    Durante os meus quase 65 anos de vida já fiz de tudo um pouco e não me arrependo, de estudante, dona de casa, costureira, manicure, cabelereira, doceira, contadora, bancária, auditora voltei para dona de casa e costureira, tudo sem revolta, sem lamentações, faria tudo de novo, se me perguntassem se fui feliz diria: MUITO. Trabalhar é muitíssimo importante para mim.
    Bom saber que está de volta mais perto da gente.
    A Letícia está morando com a vó, passou na UTFPR/PG e veio morar longe dos pais, foi bom para a vó que estava sentindo muita falta da tia Judith, preencheu um pouco do vazio na casa.
    Quando puder, venha nos ver, amamos você.
    beijos para vc e sua mãe.
    tia

    • Chris Gnata

      Oi Tia!!!
      Somos muito parecidas, né?
      Mas o bom é que sempre estamos perseguindo a felicidade e vamos continuar assim!!!
      Assim que der vou sim ver vcs!
      Beijosss

Deixe seu comentário!